sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Rússia proíbe Igreja da Cientologia


Rússia proíbe Igreja da Cientologia

A decisão do tribunal será contestada pelos representantes da religião no país


Rússia proíbe Igreja da Cientologia 
  Rússia proíbe Igreja da Cientologia
Na última segunda-feira (23) a Rússia proibiu a Igreja da Cientologia de se instalar no país. O tribunal de Moscou afirmou que a religião, registrada no país como marca comercial, não pode ser considerada como uma organização religiosa.

A imprensa local divulgou a decisão da justiça que ordenou a dissolução da organização em até seis meses, pois para o tribunal a Cientologia viola a lei sobre a liberdade religiosa do país.
Representantes da religião na Rússia repudiaram a decisão do tribunal e já afirmaram que irão recorrer. “A decisão não é definitiva e entraremos com um recurso”, disse um dos porta-vozes.
Segundo a agência EFE, a Igreja da Cientologia está registrada na Rússia desde 1994 e tem mais de 10 mil fiéis. Por isso seus representantes acreditam que a decisão da justiça viola os direitos de seus seguidores.
A Constituição russa tem quatro confissões religiosas cunhadas como oficiais: religião ortodoxa, o islã, o budismo e o judaísmo. No país encontramos outras minorias religiosas, entre elas os católicos e protestantes.
Fundada em 1953 por L. Ron Hubbard (1911–1986), a Cientologia é uma religião reconhecida em diversos países, inclusive Estados Unidos, Itália, África do Sul, Austrália, Suécia, Nova Zelândia, Portugal e Espanha.
Em outros países, principalmente na Europa, a religião é considerada uma seita. Na Alemanha, por exemplo, a Cientologia é monitorada pelo BfV, órgão federal de proteção a Constituição.
Os problemas que a religião sofre em muitos países está relacionado ao fato dela espionar seus membros através de escutas.
O julgamento na Rússia está ligado a um caso de espionagem, pois em agosto deste ano a polícia local entrou com um processo contra o grupo religioso por conta da posse ilegal de equipamentos de escuta e recolhimento de informação sobre a vida privada das pessoas.