quarta-feira, 3 de abril de 2013

Deputados protocolam ação contra Feliciano e pedem investigação de Malafaia

Deputados protocolam ação contra Feliciano e pedem investigação de Malafaia

A acão acusa os pastores de suposta calúnia, injúria e difamação por confecção ou divulgação de vídeo


Os Deputados que fazem parte da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos pediram nesta terça-feira (2) a abertura de uma nova ação penal contra o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), por suposta prática de calúnia, injúria e difamação. A ação foi motivada por causa do vídeo postado no You Tube e divulgado nas redes sociais no mês de março em que Feliciano aparece chorando e ataca os opositores.

  • marco feliciano
    (Foto: Twitter/Assessoria-Marco Feliciano)
    Deputado Pastor Marco Feliciano é o novo Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Quinta-feira, 07 de março de 2013.
O documento foi protocolado uma representação na Procuradoria-Geral da República e pede ainda a investigação do pastor Silas Malafaia e de cinco assessores de Feliciano, que segundo os deputados participaram da confecção ou da divulgação do vídeo e pede investigação.
Os deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ), Domingos Dutra (PT-MA) e Érika Kokay (PT-DF) argumentam no pedido que o deputado Feliciano atingiu a honra dos parlamentares com a divulgação do vídeo. A representação diz que “as declarações no vídeo revelam evidente vontade consciente de atingir a honra dos parlamentares, tanto objetiva quanto subjetiva, mediante imputação de atos tipificados como delitos ou que desmoralizam perante a sociedade mediante zomba até mesmo de religiões como a umbanda e candomblé”.
O pastor Malafaia publicou nota em seu site na qual diz que vai entrar com uma ação na Procuradoria-Geral contra os três deputados que assinaram o documento por "denunciação caluniosa". O pastor Malafaia criticou em seu site a atuação dos parlamentares e de ativistas gays, que segundo ele não suportam o debate democrático, querem criminalizar a opinião. “Os ativistas gays e seus amigos querem calar tanto ele quanto eu, pois não suportam o contraditório. No Brasil, amparado pela Constituição, opinião não é crime", argumentou na nota.
Com o título Marco Feliciano Renúncia, o vídeo foi postado no Youtube e compartilhado no Twitter no dia 18 de março. O vídeo, com mais de oito minutos, mostra cenas de diversas manifestações e protestos de militantes gays e simpatizantes da causa, da conturbada primeira reunião da CDHM, dos depoimentos de opositores e de Feliciano em um certo momento chorando.
Entre os depoimentos no vídeo, foi incluído um do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), militante LGBT, em que afirma que os orixás o ajudaram a chegar ao congresso. A narração conta que a CDHM sempre foi presidida por simpatizantes dos movimentos gay que fazem discursos políticos inflamados contra cristãos.
The Christian Post

Nenhum comentário :

Postar um comentário